“A faculdade de Direito da Universidade de Lisboa impôs aos seus discentes, esta quarta-feira, a instalação de uma extensão no Google Chrome que (…) não é permitida na União Europeia, por não cumprir os requisitos básicos de proteção de dados. Aos alunos é obrigatório a instalação, sob pena de não poderem realizar os exames online”!
Com base nas informações que são públicas, já há alguns anos, sobre a forma como funciona a Google, a utilização do Chrome devia de ser opcional (a meu ver) e não obrigatório! Muito menos obrigatório a instalação de uma extensão que não é permitida na União Europeia! É impressionante como uma Faculdade obriga os seus estudantes a usar algo que não é permitido na União Europeia! Pior . . . quem não a instalar até pode ser impedido de realizar os exames! É uma preocupação válida e, colocá-la, faz todo o sentido. E, pelo que percebi da notícia, existe mais um caso semelhante . . . O Erasmusmais é outro, com a obrigatoriedade de possuir um e-mail da Google para poder concorrer! Dá a ideia de que começa a haver um padrão!
Nas aulas à distância, no IEFP, pelo que percebi, está-se a utilizar o Microsoft Teams e nas escolas o Google Meet. Portanto a “orientação” é para se utilizarem estes produtos de empresas com as práticas que são conhecidas!
Não existem alternativas?! Ou não convém!
É esta a “transição digital” que pretendem fazer?! Mais parece uma "ditadura tecnológica"?!
Sign in to participate in the conversation
Mastodon 🔐 privacytools.io

Fast, secure and up-to-date instance. PrivacyTools provides knowledge and tools to protect your privacy against global mass surveillance.

Website: privacytools.io
Matrix Chat: chat.privacytools.io
Support us on OpenCollective, many contributions are tax deductible!